As mais belas mensagens para as mães!

SER MÃE

Ser mãe é resgatar laços.
É amar o inimigo.
É confiar no carrasco.
É embalar um criminoso.
É confortar um infeliz.
É alimentar ao próprio seio um adversário.
Ser mãe é reconduzir à vida aqueles que nos combateram no pretérito e, depois da rápida jornada redentora, resgatar à Luz Divina os filhos muito adorados, elevando à Deus uma prece de agradecimento pela oportunidade de muito ter amado e de poder ter sido... MÃE!



***

A Mãe e o Pêssego (de Carlos Heitor Cony)

O pai reuniu a mulher e os dois filhos e comunicou entristecido:
"Perdi o emprego. A partir de amanhã, nossa vida será diferente. Para manter o essencial, teremos de cortar o supérfluo".

O filho mais moço perguntou o que era "supérfluo". O pai deu um exemplo: "Você gosta de pêssegos, mas teremos que cortar os pêssegos, porque são caros. A sobremesa, agora, terá de ser goiabada!"

O garoto ficou pensando que todos os dias comeria goiabada - e ele não gostava de goiabada. Para azar dele, era tempo dos pêssegos, aveludados e doces como mel.

Passou a primeira semana sem sobremesa e a goiabada parecia eterna, quando acabava uma, logo aparecia outra.

Até que um dia a mãe voltou da feira com o carrinho quase vazio. Mesmo assim, em lugar de destaque, por cima de todas as compras, lá estava a lata de goiabada. O menino chegou a ficar enjoado.

Mas logo que o pai saiu para procurar emprego, a mãe chamou o guri em tom sério.
O menino pensou que fizera alguma coisa errada e que ia levar uma bronca.
A mãe levou-o para o banheiro e fechou a porta.
Mostrou um enorme pêssego, vermelho e amarelo, a penugem aveludada, doce como o mel, e disse: "Olha o que eu trouxe para você!".
O menino gostou do pêssego, mas ele preferiu gostar mais daquela mãe.

***


Mãe: Criação de Deus

No dia em que Deus criou as mães (e já vinha virando dia e noite há seis dias), um anjo apareceu-lhe e disse: - Por que esta criação está lhe deixando tão inquieto senhor?
E o Senhor Deus respondeu-lhe:
- Você já leu as especificações desta encomenda? Ela tem que ser totalmente lavável, mas não pode ser de plástico. Deve ter 180 partes moveis e substituíveis, funcionar a base de café‚ e sobras de comida.
Ter um colo macio que sirva de travesseiro para as crianças. Um beijo que tenha o dom de curar qualquer coisa, desde um ferimento até as dores de uma paixão, e ainda ter seis pares de mãos.

O anjo balançou lentamente a cabeça e disse-lhe:
- Seis pares de mãos Senhor? Parece impossível?

- Mas o problema não é esse... - falou o Senhor Deus. O mais difícil são os três pares de olhos que essa criatura tem que ter...

O anjo, num sobressalto, perguntou-lhe: - E tem isso no modelo padrão?
O Senhor Deus assentiu:
- Um par de olhos para ver através de portas fechadas, para quando se perguntar o que as crianças estão fazendo lá dentro (embora ela já saiba); outro par na parte posterior da cabeça, para ver o que não deveria, mas precisa saber, e, naturalmente, os olhos normais, capazes de consolar uma criança em prantos, dizendo-lhe: “Eu te compreendo e te amo!”, sem ao menos precisar dizer uma palavra.

E o anjo mais uma vez comenta-lhe: - Senhor, já é hora de dormir. Amanhã é outro dia.
Mas o Senhor Deus explicou-lhe:
- Não posso, já esta quase pronta. Já tenho um modelo que se cura sozinho quando adoece, que consegue alimentar uma família de seis pessoas com meio quilo de carne moída e consegue convencer uma criança de 9 anos a tomar banho...

O anjo rodeou vagarosamente o modelo e falou: - É muito delicada, Senhor!...
Mas o Senhor Deus disse entusiasmado:
- Mas é muito resistente! Você não imagina o que esta pessoa pode fazer ou suportar!

O anjo, analisando melhor a criação, observa: - Há um vazamento ali Senhor...

- Não é um simples vazamento, é uma lágrima! E esta serve para expressar alegrias, tristezas, dores, solidão, orgulho e outros sentimentos.

- Vós sois um gênio, Senhor! - disse o anjo entusiasmado com a criação. Mas como ela irá se chamar? – perguntou curioso.

E Deus, então, respondeu simplesmente: - MÃE!

***


Ao meu filho,

Esta manhã, eu vou sorrir quando vir o seu rosto, e rir mesmo sentindo vontade de chorar.
Vou deixar você escolher o que vai vestir, sorrir e dizer o quanto você está ótimo.
Eu vou deixar a roupa para lavar de lado, pegar você e levá-lo ao parque para brincar.
Vou deixar a louça na pia e deixar você me ensinar a montar seu quebra-cabeça.
Esta tarde, eu vou desligar o telefone, manter o computador fora do ar e sentar-me com você no quintal e soltar bolhas de sabão.
Eu não vou gritar nenhuma vez, nem mesmo resmungar quando você gritar e acenar para o carrinho de sorvetes, e vou comprar um se ele passar.
Eu não vou me preocupar com o que você vai ser quando crescer.
Vou deixar você ajudar-me a assar biscoitos e não vou ficar atrás de você tentando consertá-los.
Iremos à lanchonete comprar sanduíches para nós dois, para que você possa comer um pouquinho mais.
Esta noite, vou segurá-lo em meus braços e contar-lhe uma história sobre como você nasceu e como eu o amo.
Eu vou deixar você espirrar a água do banho e não ficar nervosa.
Vou deixar você ficar acordado até tarde, enquanto ficamos sentados na soleira, contando todas as estrelas.
Eu vou me aconchegar ao seu lado por horas e perder meus shows favoritos na TV.
Quando eu passar meus dedos entre seus cabelos enquanto você reza, eu vou simplesmente ser grata a Deus por ter me dado o maior presente do mundo.
Eu vou pensar nas mães e pais que procuram por seus filhos perdidos, nas mães e pais que estão em hospitais vendo seus filhos, querendo que eles voltem para casa o mais rápido possível.
E, quando eu te der um beijo de boa noite, eu vou te segurar um pouquinho mais forte, por um pouquinho mais de tempo.
E é então que vou agradecer a Deus por você, e não pedirei nada a Ele, exceto mais um dia ao seu lado.

***


Como manter viva a chama do amor...
(de Marcello Baulléo)

Depois de 21 anos de casado, descobri uma nova maneira de manter viva a chama do amor.
Há pouco tempo decidi sair com outra mulher.
Na realidade foi idéia da minha esposa.

- Você sabe que a ama - disse-me minha esposa um dia, pegando-me de surpresa.
- A vida é muito curta, você deve dedicar especial tempo a essa mulher...
- Mas, eu te amo - protestei à minha mulher.
- Eu sei. Mas, você também a ama. Tenho certeza disto.

A outra mulher, a quem minha esposa queria que eu visitasse, era minha mãe,que era já viúva há 19 anos, mas que as exigências do meu trabalho e de meus 3 filhos faziam com que eu a visitasse ocasionalmente.

Esta noite a convidei para jantar e ir ao cinema.
- O que é que você tem? Você está bem? perguntou-me ela, após o convite.
Minha mãe é o tipo de mulher que acredita que uma chamada tarde da noite, ou um convite surpresa é indício de más notícias.
- Pensei que seria agradável passar algum tempo contigo - respondi a ela.
- Só nós dois?- respondeu surpresa.
Ela refletiu por um momento.
- Me agradaria muitíssimo - disse sorrindo.

Depois de alguns dias, estava dirigindo para pegá-la depois do trabalho, estava um tanto nervoso, era o nervosismo que antecede a um primeiro encontro... e, que coisa interessante, pude notar que ela também estava muito emocionada.

Me esperava na porta com seu casaco, havia feito um penteado e usava o vestido com que celebrou seu último aniversário de bodas.
Seu rosto sorria e irradiava luz como um anjo.
- Eu disse a minhas amigas que ia sair com você, e ficaram muito impressionadas.
Comentou enquanto subia no carro - "Elas nem podem esperar para escutar a respeito de nosso passeio. Me aguardam amanhã".

Fomos a um restaurante não muito elegante, mas, sim, aconchegante, e minha mãe se agarrou ao meu braço como se fosse "a primeira dama".
Quando nos sentamos, tive que ler para ela o menu.
Seus olhos só enxergavam grandes figuras.
Quando estava pela metade das entradas, levantei os olhos; mamãe estava sentada do outro lado da mesa, e me olhava fixamente.
Um sorriso nostálgico se delineava nos seus lábios.
- Era eu quem lia o menu quando você era pequeno - disse-me ela.
- Então é hora de relaxar e me permitir devolver o favor - respondi.


Durante o jantar, tivemos uma agradável conversa; nada extraordinário, só colocando em dia a vida um para o outro.
Falamos tanto que perdemos o horário do cinema.
- Sairei contigo outra vez, mas, só se me deixares fazer o convite – disse minha mãe quando a levei para casa. Concordei.

- Como foi teu encontro? - quis saber minha esposa quando cheguei àquela noite.
- Muito agradável... muito mais do que imaginei...

Dias mais tarde, minha mãe faleceu de um enfarte fulminante, tudo foi tão rápido, não pude fazer nada.

Depois de algum tempo, recebi um envelope com cópia de um cheque do restaurante de onde havíamos jantado minha mãe e eu, e uma nota que dizia: “O jantar que tivemos paguei antecipado, estava quase certa de que poderia não estar ali, por isso paguei um jantar para ti e para tua esposa. Jamais poderás entender o que aquela noite significou para mim. Te amo”.

Nesse momento, compreendi a importância de dizer a tempo: "TE AMO" e de dar a nossos entes queridos o espaço que merecem; nada na vida será mais importante que Deus e tua família, dedique tempo a eles, porque eles não podem esperar.

***



AMOR DE MÃE

Se você quiser pensar no que há de mais belo na natureza, por certo irá concluir que é o amor materno.

Se voltar o seu pensamento para alguém de quem você se e esquece, mas não se esquece de você, pensará em sua mãe.

Se imaginar alguém que só se alimenta depois que você se alimenta, que só dorme depois que você chega, será sua mãe.

Se descobrir que uma mulher se ajoelha diante da imagem da Virgem Maria e reza, chorando por sua felicidade, saberá que ela é sua mãe.

Eu vi minha mãe rezando aos pés da Virgem Maria.

Era uma santa escutando o que outra Santa dizia.

***


Elogiar quem?
(de L. R. Silvado)

Um homem dizia que as mães que ficam em casa na realidade não trabalham tanto.
Ele explicava que as tarefas domésticas eram muito simples e fáceis de executar.
Porém, um dia, ele foi obrigado a ficar em casa cuidando da família para a sua esposa viajar. Foi nesta oportunidade que ele decidiu fazer uma lista das suas atividades e obteve o seguinte resultado:

• abri a porta para as crianças - 106 vezes
• fechei a porta para as crianças - 106 vezes
• amarrei o cadarço dos sapatos - 16 vezes
• dei biscoito para as crianças - 28 vezes
• disse "não" para o menino de 2 anos - 94 vezes
• acabou-se a minha paciência - 45 vezes
• preparei pão com geléia - 11 vezes
• segurei o bebê no colo - 21 vezes
• atendi ao telefone - 17 vezes
• caminhei atrás das crianças quase 4 km
• e ainda faltou relatar muitas coisas que eu não quis anotar!

Pais e esposos, filhos, digam às mães: muito obrigado! Digam quão gratos vocês são por tudo que elas fazem em casa pela família.
Diga hoje e faça um propósito de fazê-lo com mais regularidade.

Mesmo aquelas mães que trabalham também fora do lar poderiam fazer uma lista semelhante a esta, para o período em que estão nas suas casas.

Agradeçam a Deus pela vida da sua esposa e da sua mãe!

Vamos elogiá-las na frente de todos!
Vamos falar bem delas em particular!
Vamos agradecer a Deus pelas esposas e mães!

***


História de uma Mãe

Havia uma sofredora mulher que velava aflita, à cabeceira do filhinho doente, quando a Morte chegou para buscá-lo.
Sem que ela pudesse ensaiar qualquer defesa, a Morte arrebatou o menino da cabana. Desesperada, a mãezinha saiu a gritar para rever o pequenino, mas a Morte veloz desaparecera.
Chorando, avançou a infeliz, estrada a fora, quando, em plena noite, encontrou uma mulher que poderia encaminhá-la; mas esta, em troca da informação, pediu-lhe para cantar todas as canções com que embalava o filho.
Embora em lágrimas, ela repetiu todas as cantigas com que afagava o pequenino, ao pé do berço.
A mulher ensinou-lhe, então, que a Morte se dirigira para certo espinheiro. A pobre mãe alcançou-o, mas o espinheiro, para ajudá-la, exigiu que ela o abraçasse.
Sem vacilar, a desditosa mãezinha enlaçou-o, aquecendo-lhe os espinhos que a noite gelara...
Quando o seu corpo já se mostrava coberto de chagas, o espinheiro explicou que
a Morte seguira no rumo do grande lago.
A peregrina, ensangüentada, chegou ao lago, mas o lago fazia coleção de pérolas e,
para prestar-lhe o serviço, pediu-lhe os belos olhos.
A infortunada viajante arrancou os próprios olhos e os deu para o lago. O lago, desse modo, transportou-a, ferida e cega, para o outro lado da terra, onde a Morte costumava guardar as criancinhas.
Era um grande cemitério, guardado por monstruosa mulher que, para ensinar-lhe
o lugar exato onde a Morte aportaria naquela noite, lhe reclamou a linda cabeleira.
Sem qualquer hesitação, ela deixou-se tosar e, logo após, quase irreconhecível,
foi colocada em posição de perceber a chegada do pequeno que procurava.
Esperou... esperou... esperou...
Em dado instante, ouviu que a Morte regressava com os meninos que recolhera.
Atenta, escutava as vozes diversas, qual se registrasse a presença de um bando
de passarinhos, quando, dentre todas, distinguiu o choro de seu próprio filho e,
apesar de cega, avançou para ele, gritando, jubilosa:
- Meu filhinho!...
- Meu filhinho!...
- E agarrou-o nos braços, a beijá-lo, enternecidamente.
A própria Morte, emocionada, perguntou-lhe então:
- Como fizeste para chegar aqui, antes de mim?
Ela, chorando e rindo, pôde apenas dizer:
- SOU MÃE.

***


Um anjo...

Uma criança pronta para nascer perguntou a Deus:
- Me disseram que estarei sendo enviado à terra amanhã... Como eu vou viver lá sendo assim pequeno e indefeso?
Deus disse então:
- Entre muitos anjos, eu escolhi um especial para você. Estará lhe esperando e tomará conta de você.
A criança se dirigiu novamente a Deus::
- Mas diga-me: aqui no Céu eu não faço nada a não ser cantar e sorrir, o que é suficiente para que eu seja feliz. Serei feliz lá?"
Deus respondeu:
- Seu anjo cantará e sorrirá para você... A cada dia, a cada instante, você sentirá o amor do seu anjo e será feliz.
E a criança continuo perguntando e Deus respondendo:
- Mas como poderei entender quando falarem comigo se eu não conheço a língua que as pessoas falam?, indagou o pequenino.
- Com muita paciência e carinho, seu anjo lhe ensinará a falar.
- E o que farei quando eu quiser Te falar?
- Seu anjo juntará suas mãos e lhe ensinará a rezar.
- Deus, eu ouvi que na terra há homens maus. Quem me protegerá?
- Meu filho, seu anjo lhe defenderá mesmo que signifique arriscar sua própria vida.
A criança percebendo que não veria mais a Deus falou
- Mas eu serei sempre triste porque eu não Te verei mais, senhor.
Deus então afirmou:
- Não se preocupe. Seu anjo sempre lhe falará sobre Mim e lhe ensinará a maneira de vir a Mim, e Eu estarei sempre dentro de você.
Nesse momento havia muita paz no Céu, mas as vozes da terra já podiam ser ouvidas.
A criança, apressada, pediu suavemente:
- Oh Deus, se eu estiver a ponto de ir agora, diga-me por favor, o nome do meu anjo.

E Deus falou:
- Você chamará seu anjo de... Mãe

***


O presente ideal !

Você quer dar um presente para sua mãe no próximo Domingo ? Vão aí algumas sugestões para você:

O presente do escutar:
Você realmente deve escutar. Nada de interromper, nada de sonhar acordado, nada de planejar sua resposta. Apenas escute com interesse, afeto e atenção!
O presente do afeto:
Seja generoso com abraços e beijos, tapinhas nas costas e aperto de mãos na hora certa. Deixe estas pequenas atitudes demonstrarem o amor que você tem por sua mãe.
O presente da risada:
Recorte desenhos. Compartilhe artigos e histórias engraçadas. Seu presente vai dizer "eu adoro rir com você."
O presente de um bilhete:
Pode ser um simples "Obrigado pela ajuda" ou um soneto inteiro. Um bilhete, mesmo pequeno, manuscrito, pode ser lembrado por toda a vida, e pode até mudar uma vida. Diga do seu amor, gratidão por algo específico que ela fez ou simplesmente por ter-lhe dado a vida.
O presente de um elogio:
Um simples e sincero, "Você fica muito bem de vermelho", "Você fez um excelente trabalho" ou "A comida estava maravilhosa" pode tornar o dia de alguém melhor. Imagine o impacto de ouvir isto do próprio filho ou filha!
O presente de um favor:
Todo dia, saia da rotina e faça alguma coisa gentil. Telefone para perguntar como vai, passe por lá para deixar um pão quentinho ou cortar a grama. Ajude-a a entender aquela carta ou conserte aquela torneira que pinga sem parar.
O presente da solidão:
Há momentos quando não queremos nada além de ficarmos sozinhos. Seja sensível a esses momentos e dê o presente da solidão respeitando a sua mãe como pessoa sem entretanto deixar dúvidas quanto ao seu apoio incondicional.
O presente da disposição alegre:
O caminho mais fácil para nos sentirmos bem é dizer uma palavra gentil a alguém, especialmente à nossa mãe! De fato, não é tão difícil assim dizer, "Olá" ou "Muito Obrigado."
O presente da fé renovada:
Ore a Deus pela sua mãe e faça isto na presença dela também. Reparta com ela uma oração ou uma mensagem que traga confiança e paz ao coração.
Nesse Domingo, dia das mães, e em todos os dias do ano, use o "seu presente" para tornar a vida de sua mãe mais alegre.

*******************************************************************************************

FELIZ DIA DAS MÃES!
Share on Google Plus

About Alexandre Ferreira

Blog do comunicador Alexandre Ferreira - Jornalista, Radialista e Professor Universitário.

1 comentários:

Dilma disse...

parabens e muito obrigado pelas lindas mensagens pois ser mae e um grandi milagre e ainda mais o q seria dos homens c nao foce as mulheres
alexandre te ouso todos os dia e te digo mais nos mulheres somos metade no mundo e mae da outra metade